sétimo céu // patti smith

tradução de maíra mendes galvão

Ah, Rafael. Anjo da guarda. No amor e no crime
tudo se arranja em sete. sete compartimentos
no coração. as sete elaboradas tentações.
sete demônios exorcizados de Maria Madalena puta
de Cristo. as sete maravilhosas viagens de Simbad.
sim, mau. E o número sete marcado para sempre
na testa de Caim. O primeiro homem inspirado.
O pai do desejo e do assassinato. Mas não foi dele
o primeiro êxtase. Vejamos sua mãe.

Foi de curiosidade o crime de Eva. Segundo
o ditado: matou a fifi. Uma maçã podre matou
o lance todo. Mas pode ter certeza que maçã não era.
Maçã parece bunda. É fruta de fruta.
Deve ter sido um tomate.
Ou melhor. Uma manga.
Ela mordeu. Precisa por a culpa nela. abusar e tudo.
pobre vaca dócil. talvez seja uma estória mal contada.
imagine Satã como um garanhão.
talvez ela estivesse de pernas abertas.
satã serpenteia entre elas.
abrem-se mais
serpenteia coxas acima
se esfrega ali nela um tempo
mais do que a árvore do conhecimento prestes
a ser comida…ela geme seu primeiro gemido
jardim do prazer do prazer
será que se arrependeu
será que chegamos a ser garotas
será que era boa de cama
só deus sabe

 

 

Patti Smith, “seventh heaven” de Early Work 1970-1979. Copirraite © 1994 de Patti Smith. Publicação desta tradução e menção ao poema sob permissão da autora e da W. W. Norton & Company, Inc.

Fonte: EARLY WORK: 1970-1979 (W. W. Norton and Company Inc., 1994)

Anúncios

Publicado por

Maíra Mendes Galvão

maquinista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s