dia da tradutora

para comemorar este dia, resolvi publicar minha tradução de “lunar baedeker” da vernaculosa poeta inglesa moderno-futurista mina loy. com meus agradecimentos a dirceu villa e renata romero geraldes pelos pitacos certeiros.

Lunar Baedeker / Mina Loy

A silver Lucifer
serves
cocaine in cornucopia

To some somnambulists
of adolescent thighs
draped
in satirical draperies

Peris in livery
prepare
Lethe
for posthumous parvenues

Delirious Avenues
lit
with the chandelier souls
of infusoria
from Pharoah’s tombstones

lead
to mercurial doomsdays
Odious oasis
in furrowed phosphorous—

the eye-white sky-light
white-light district
of lunar lusts

—Stellectric signs
“Wing shows on starway”
“Zodiac carrousel”

Cyclones
of ecstatic dust
and ashes whirl
crusaders
from hallucinatory citadels
of shattered glass
into evacuate craters

A flock of dreams 
browse on Necropolis

From the shores
of oval oceans
in the oxidized Orient

Onyx-eyed Odalisques
and ornithologists
observe
the flight
of Eros obsolete

And “Immortality”
mildews…
in the museums of the moon

“Nocturnal cyclops”
“Crystal concubine”
——-
Pocked with personification
the fossil virgin of the skies
waxes and wanes—- 

Guia de Viagem Lunar

Um Lúcifer cintilante
serve
cocaína em cornucópia

Para uns sonâmbulos
de coxas adolescentes
vestidos
em vestes satíricas

Peris de librés
preparam
Letes
para póstumos arrivistas

Delirantes Avenidas
luzem
com as almas-candelabro
de infusórios
das catacumbas do Faraó

conduzem
a mercuriais apocalipses
Oásis odioso
em fósforos fendidos—

o branco-olho clara-boia
pre-claro distrito
de luxúrias lunares

—Sinais estelétricos
“Asa aparece em asterismo”
“Carrossel zodíaco”

Ciclones
de poeira extática
e cinzas giram
cruzados
de alucinantes cidadelas
de vidro estilhaçado
até crateras evacuadas

Um rebanho de sonhos
pasta na Necrópole

Dos litorais
de oceanos ovais
no oxidado oriente

Olhos de ônix de odaliscas
e ornitologistas
observam
a fuga
de Eros obsoleto

E a “Imortalidade”
mofa…
nos museus da lua

“Ciclope noturno”
“Concubina de cristal”
——-
Com manchas em personificação
a virgem fóssil dos céus
medra e mingua—

Anúncios

Publicado por

Maíra Mendes Galvão

maquinista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s